Usuário:  Senha:  
 
  home / associados / premiações / dicionário / quem somos / associe-se / legislação / fale conosco   
 
 
 
Notícias / Vinho para o diabético

Dados Estatísticos

Produção de Uvas

Comercialização de Vinhos
e Derivados

Importação de Vinhos e
Espumantes

Sites Interessantes

Associação Brasileira
 de Enologia


CEFET

Embrapa Uva e Vinho

Ministério do
Desenvolvimento

CONAB

Receita Federal

Ministério da Agricultura,
 Pecuária e Abastecimento

O. I. V. V.

Wines From Brazil

O vinho é, sem dúvida, a bebida mais favorável para o diabético, desde que não tenha contra-indicação ao uso das bebidas alcoólicas; beba com moderação; só beba se tiver a doença compensada; beba sempre junto com as refeições, para evitar os riscos de hiper e principalmente hipoglicemia; beba sempre acompanhado (de preferência da pessoa amada ou que lhe seja aprazível); contabilize as calorias da bebida na sua dieta.

O Diabetes Melito é um erro metabólico do organismo. Nessa doença ocorre aumento da quantidade de glicose no sangue por ação inadequada ou insuficiente da insulina – um hormônio produzido pelo pâncreas cuja função é promover a entrada deste açúcar nas células a fim de ser metabolizado e transformado em energia.

O vinho, sobretudo o tinto seco, é muito favorável para quem tem Diabete Melito por vários mecanismos. Isso é o que mostram dezenas de pesquisas científicas que tentarei compilar nos próximos parágrafos.

A quantidade de açúcar no vinho, principalmente no tinto seco, é mínima e irrelevante para o diabético. Retirar o açúcar do vinho tinto seco não representa nenhum beneficio real para quem tem Diabete Melito. A quantidade de calorias que uma taça de vinho tinto seco tem é a mesma que uma maça ou uma pêra. Os vinhos brancos, como regra tem mais açúcar que os tintos e os demi-sec mais que os secos e menos que os suaves.

A Quercitina e a Mirecetina são dois polifenóis que existem em quantidade apreciável no vinho. Eles aumentam a sensibilidade das células à ação da Insulina. Desse modo os açúcares do sangue são mais bem aproveitados. Isso leva a diminuição da quantidade insulina na corrente sangüínea. A alta taxa de insulina no sangue, como se sabe, é muito tóxica para o organismo e desencadeia uma série de reações metabólicas que culminam, normalmente, com o ganho de peso. O álcool em doses baixas também tem o mesmo efeito da Quercitina e da Mirecetina. Em decorrência disso, duas situações benéficas acontecem: favorece a perda de peso, o que sempre é desejável para todo paciente diabético e há uma tendência a diminuir a quantidade de medicamentos para controlar a doença. A ingesta de bebidas alcoólicas por diabéticos um uso de insulina ou anti-diabéticos orais, pode levar mais facilmente à hipoglicemia . Os sintomas da hipoglicemia e intoxicação aguda pelo álcool são muito parecidos. Na presença de sintomas é aconselhável fazer uma dosagem rápida de glicose no sangue.


DOENÇAS CARDIOCIRCULATÓRIAS

As alterações metabólicas que ocorrem na Diabete Melito favorecem as doenças cardiocirculatórias. Um dos mecanismos é o aumento da adesividade das plaquetas. Isso significa dizer que o diabético forma coágulos no lume vascular com mais facilidade aumentando o risco de oclusão aguda de vasos sanguíneos. Isso é trágico porque pode culminar com infarto do miocárdio, derrame cerebral e morte súbita. Os efeitos cardioprotetores do vinho são bem conhecidos. Eles advêm das ações sinérgicas do álcool com os polifenóis que existem no vinho, que, entre outros efeitos protetores, diminuem toda a atividade aterotrombótica, inclusive a adesividade plaquetária. E isso e mais uma dádiva para os diabéticos que na maioria morrem de doenças cardiocirculatórias.

A Hemoglobina Glicosilada (HbA1c) é o marcado bioquímico utilizado para controle da Diabete Melito. Ela nos da a média dos níveis de açúcar no sangue dos últimos três meses, aproximadamente. Quanto mais alto o seu valor, mais descontrolada está a Diabete Melito. O Dr. Herding e colaboradores estudaram a relação existente entre a ingesta de bebidas alcoólicas e os níveis de hemoglobina glicosilada (HbA1c). Eles constataram, tanto em mulheres como em homens, que a ingesta de vinhos tem uma relação inversa com a hemoglobina glicosilada (HbA1c).

Outro fato que torna o vinho tão favorável para os diabéticos (e que é pouco referido) é que ele é rico em Cromo. E cromo da melhor qualidade. Este eletrólito é importante porque tem um papel fundamental nas manifestações e controle do Diabete Melito, porque atua no metabolismo da glicose e é indispensável á ação da insulina, conforme relatam os Dr. Jennings e Dr. Howard.

É muito importante que o diabético beba com moderação. A ingesta abusiva é desfavorável porque aumenta a produção de glicose, colesterol e triglicerídeos pelo fígado, o que não é desejável.


BEBER JUNTO ÀS REFEIÇÕES

É fundamental que o vinho seja bebido sempre junto as refeições para diminuir a absorção de álcool pelo organismo e evitar a hiper e principalmente a hipoglicemia. É recomendável beber sempre (“bem”) acompanhado. Além de mais seguro num caso de hiper ou hipoglicemia é muito mais prazeroso.

É também importante que o diabético só beba se estiver com a doença compensada. E deve sempre contabilizar as calorias do vinho na dieta.

O diabético que tomar bebida alcoólica e fizer exercícios, terá aumentada a chance de fazer hipoglicemia. Vários estudos na literatura médica mostram que o uso moderado da bebidas alcoólicas, mas com maior ênfase no vinho, diminui o risco de desenvolver Diabete Melito tipo 2 ao longo da vida, tanto em homens como mulheres. Por outro lado, a ingesta abusiva de bebidas alcoólicas pode aumentar a chance, sobretudo das mulheres, de desenvolver está moléstia.

Em síntese: todo diabético que responder SIM às três perguntas seguintes, poderão se beneficiar de ingesta moderada de vinho (tinto seco, preferencialmente) durante as refeições. Se algumas das respostas for NÃO, a melhor escolha é, sem dúvida, evitar qualquer tipo de bebida alcoólica.

A minha diabete está controlada?

Estou livre de outras contradições ao uso de bebidas alcoólicas?

Conheço os efeitos que o álcool pode ter com a(s) minha(s) doença(s) e o meu tratamento?


RECOMENDAÇÕES PARA OS DIABÉTICOS QUE QUISEREM BEBER

• Só beba se estiver com a doença controlada.
• Beba junto ou logo após uma refeição.
• Beba acompanhado.
• Esteja preparado para hiper e principalmente hipoglicemia.
• Diante de sintomas, faça um teste rápido da glicemia.
• Monitore os níveis de triglicerídeos, se beber regularmente.
• Contabilize as calorias da bebida em sua dieta.
• Se beber à noite, faça um lanche antes de dormir.
• Prefira vinho tinto seco (é menos calórico).
• Evite dirigir automóveis ou operar máquinas, se beber.

 
     
  [ by Alvo Global - Copyright © 2009 - Todos os direitos reservados ]