Usuário:  Senha:  
 
  home / associados / premiações / dicionário / quem somos / associe-se / legislação / fale conosco   
 
 
 
Vinho & Saúde / Receita de vinho para doentes do coração

Dados Estatísticos
Produção de Uvas
Comercialização de Vinhos
e Derivados
Importação de Vinhos e
Espumantes

Sites Interessantes
Embrapa Uva e Vinho
CEFET
Ministério do
Desenvolvimento
CONAB
Receita Federal
Ministério da Agricultura,
 Pecuária e Abastecimento
Organização Internacional
 da Uva e do Vinho

Consórcio de Exportação
Associação Brasileira
 de Enologia


Manuel Gea

Ainda estamos há anos luz antes que uma legislação européia apóie o consumo de vinho as pessoas saudáveis e enfermas e alguma campanha publicitária encaminhe ao consumo moderado de vinho, em lugar de outras bebidas que fazem mal a saúde, é reconfortante saber que vez por outra surgem iniciativas e estudos que nos enviem uma mensagem sublimar, senão categórica, dos benefícios do vinho para a saúde do coração. Quero converter em slogan esta recente notícia de um hospital britânico: “compatriotas ingleses, receitamos dois copos de vinho tinto ao dia aos nossos doentes do coração e diminuíram os infartos e apoplexias. Unam-se a campanha do nosso hospital Great Western. O chá nos afasta da boa saúde”.

Em conseqüência, diferentes personalidades européias, algumas da Espanha, como o Dr. Guzmán Ortuño de Murcia, vem escrevendo sobre os benefícios do consumo diário de vinho tinto para pessoas saudáveis e enfermas. Vem demonstrando clinicamente os impedimentos que os componentes naturais do vinho tinto exercem sobre os desencadeantes de doenças coronárias e circulatórias, no entanto, falta um pronunciamento oficial dos altos organismos que favoreceriam uma economia multinacional com problemas. Naturalmente o cirurgião inglês deste hospital de Swindón (oeste de Londres) tem experiência e por isso receitou os dois copos de vinho. Na ocasião foram usados os de variedades: Pinot, Cabernet Sauvignon e Shiraz Sem descartar nenhum outro, disse que reduzem em aproximadamente 20% as possibilidades de infartos. Este médico estudou as características da população francesa com doenças do coração, chegando à conclusão que mesmo consumindo mais gorduras e fazendo menos exercícios, os franceses gozam de melhor saúde que os ingleses que apreciam o chá.

Fonte: La Semana Vitivinícola – Revista Técnica de Interes Permanente – 02/04/2005 – nº 3060.

 
     
  [ by Alvo Global - Copyright © 2009 - Todos os direitos reservados ]